Apertando o parafuso

Foto: Divulgação da banda



Original e espontâneo é assim o som da banda de rock pernambucana Parafusa que acaba de lançar o disco “Meio Dia na Rua da Harmonia”, segundo trabalho do grupo totalmente independente. No álbum eles misturam sonoridades e saem na frente em termos de estrutura musical no pop rock.
A formação básica de qualquer banda de rock (bateria, guitarra, baixo, piano e percussão) em nenhum momento se aproxima de fórmulas convencionais neste trabalho. O que se pode escutar no CD são construções sonoras experimentais sem a sujeira convencional das novas bandas de rock que estão no cenário alternativo. Não é para menos, pois, as influências musicais vêm de nomes como Mutantes, Ave Sangria, Secos e Molhados, Jethro Tull, Beatles, Bem Folds, Chico Buarque, Cartola e outros afins.
“Meio Dia na Rua da Harmonia” têm doze faixas com letras de Diego Andrade, Tiago Araújo, Malu Allen, Lucas e Juliano. São marchinhas de carnaval, rock, sambas e música popular brasileira com arranjos criativos e diversificados. O maior mérito é escutar o disco prestando atenção nas letras, que não estão impressas no encarte, mas são carregadas de poesia cotidiana na voz personalística de Tiago Araújo.
O disco foi gravado pela própria banda no estúdio sala 7 da Escola de Música Cema, em Recife (PE). A quarta faixa do CD, “No Asfalto”, eles inseriram trechos de canções da cultura popular, como “Bendito de São João”, gravado na cidade de Aparecida, interior do Estado da Paraíba, pelos pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Marcos, Maria Ignez Ayala e Vlader Nobre, contido no trabalho “Responde a Roda Outra Vez”, coordenado pelo professor de etnomusicologia Carlos Sandroni, que traçou um panorama da música folclórica da Paraíba e Pernambuco hoje, tal como fez a equipe do escritor paulista Mário de Andrade em 1938 quando ainda era Chefe do Departamento de Cultura do Estado de São Paulo (1935-1938).
O fato é que a mistura de música folclórica, rock pop, MPB e marchinhas de carnaval são eficientes e prova como o cenário alternativo da capital pernambucana vem amadurecendo a cada ano. Hoje existe uma certa maturidade nos trabalhos das bandas alternativas que mesmo no meio daquele mangue sujo, conseguem tirar vida, provar a força que tem sua música e produzir trabalhos de qualidade sonora.
A banda Parafusa parece não ter recebido bons elogios da imprensa pernambucana que duvidam da capacidade do grupo entrar na máquina industrial do circuito “mainstream”. Mas, ao que parece o parafuso da parafusa está bastante apertado para cair na malha especulativa de uma mídia cega e surda que vive da espetacularização e unicamente dos produtos culturais que são lançados.
O grupo tem a mesma formação desde que surgiram em 2002, com Juliano Ribeiro (piano), Lucas Araújo (bateria e percussão), Diogo Andrade (guitarra e voz) e Tiago Araújo (baixo e voz). A intenção deles agora, segundo Juliano Ribeiro, é divulgar o trabalho em todo Nordeste.
Em João Pessoa, o disco poderá ser encontrado nas lojas Música Urbana (no centro da cidade) e em Oliver Discos (na praia de Manaíra) ao preço de R$ 12,00. Quem quiser se adiantar e conferir o trabalho da banda pode acessar a página do grupo (http://www.parafusa.com.br/) e baixar algumas canções que estão disponíveis ou então entra em contato através do e-mail parafusa@parafusa.com.br ou pelo telefone (81) 9146.2604/9282.1365.
Adriana Crisanto
adriana@jornalonorte.com.br

Serviço:
Parafusa – Meio dia na rua da harmonia
Preço: R$ 12,00
Informações no website http://www.parafusa.com.br/
Fones: (81) 9146.2604 ou 9282.1365