Quando o meio é o ambiente

Figura híbrida de Gina Dantas, meio homem, meio serpente, em postura de oração, em terracota. Simboliza a necessidade de transformação do homem para que aflorem sentimentos de paz e a harmonia. A peça estará em exposição no evento que reúne moda, meio ambiente e arte.


Na tentativa de ampliar o entendimento sobre as questões ambientais um grupo de artistas em parceria com a Associação Acácia Pingo d´Ouro promovem nesta quinta-feira (6), a partir das 19h, na Usina Cultural da Saelpa, localizado no bairro de Tambiá, o evento “O meio ambiente está na moda e na arte”.
No local haverá desfile de moda, exibição de curta metragens, mostra de dança contemporânea e dramatização teatral. Tudo relacionado a temática do meio ambiente, proposta maior da Organização Não Governamental (Ong) Acácia Pingo D´Ouro que congrega pessoas preocupadas com as questões ambientais locais e globais, engajadas em projetos de conscientização ambiental e geração de renda segundo os princípios da sustentabilidade e do “fair trade”.
Na ocasião a artista plástica e estilista Fabíola P mostra sua nova coleção em que mistura fibras de bananeiras, material reciclado e tecido. Recém chegada da Europa a artista traz toda sua vivência das artes (teatro e dança) e sua experiência familiar do mundo das mercadorias para seus desfiles. “Acredito que todas essas experiências estão um pouco refletidas no meu trabalho”, contou Fabíola que parte agora com muito mais força e dinamismo para o mundo da moda.
A ceramista Gina Dantas também estará expondo suas personagens volumosas e de formas arredondadas que lembra a tradição da cerâmica andina, notadamente da cultura “mochica”. Uma de suas últimas obras é a figura híbrida, meio homem, meio serpente, em postura de oração que simboliza a necessidade de transformação do homem para que aflorem sentimentos de paz e harmonia.
Gina Dantas é uma das poucas ceramistas que conseguiu encontrar uma identidade própria. Conseguida, segundo a artista, sem muita explicação. “As coisas foram surgindo sem nenhuma pretensão”, comentou. A artista é natural de Recife (PE), mas está radicada em João Pessoa há mais de 30 anos. Suas peças estão expostas em várias capitais brasileiras e esculturas vendidas em vários países.
Engajada com os movimentos em defesa da arte Gina diz que sempre esteve a favor das pessoas que trabalham por uma causa. Esse foi um dos motivos que a fez apoiar o trabalho da Ong Acácia Pingo D´Ouro, da qual também faz parte e realiza estudos e pesquisas sobre as condições de vida das populações urbanas e tradicionais, nos aspectos ambientais, sanitário, educacional, sócio econômico e cultural e ainda apoiar e assessor grupos e entidades afins.
Os integrantes do grupo Acácia elaboram ainda projetos de combate à degradação e riscos ambientais em áreas de populações tradicionais e urbanas em situação de pobreza e risco, bem como projetos de desenvolvimento auto-sustentável.
A professora, poeta e artista plástica Terezinha Fialho estará no local fazendo também suas intervenções artistas e distribuindo com público pedaços de poesia que remetem a discussões sobre meio ambiente e artes. O evento contará com a presença de integrantes de movimentos ambientais, de representantes civis e políticos, que durante o evento estarão discutindo temas relacionados à educação e gestão ambiental na tentativa de criar oportunidades econômicas compatíveis com a realidade regional.
A moda e arte entram nesta contexto, segundo os organizadores, para nortear as discussões e como forma de chamar atenção da sociedade para os problemas ambientais e que teve seu ápice de discussão e conscientização na Eco 92 e desde então pouco se tem feito de fato pelo o meio ambiente. Os esgotos continuam sendo despejados no mar das praias de Manaíra, Bessa, Tambaú e Cabo Branco. Na Beira Rio esgoto “in natura” é depositado nas margens do Rio Jaguaribe provocando uma fedentina maldita que mais lembra os canais do Recife antigo. O rio São Francisco sendo alvo de brigas políticas partidárias sem precedentes.
A tentativa é fazer com a arte desperte essa consciência nas pessoas. Talvez consiga, desde que a mídia, que também diz ter uma função social, paute com maior intensidade sobre as questões ambientais e não fique puramente no discurso falacioso e não engajado.
Adriana Crisanto

Serviço:
Meio Ambiente está na moda e na arte

Quinta-feira (6)
Hora: 19h
Local: Usina Cultural da Saelpa - Tambiá