Revelando Brasis


O vídeo-documentário “Extraordinárias Estórias em Manecos” de autoria da professora de letras e literatura, Maria José da Silva, mais conhecida por Tuca, será exibido nesta quarta-feira (4), a partir das 20h00, na praça da cidade de Guirinh
em, município localizado 67 quilômetros da Capital João Pessoa.

A exibição faz parte do programa "Revelando os Brasis", um projeto de formação audiovisual do Ministério da Cultura (Minc), concebido através da Secretaria do Audiovisual, que viabilizou a produção de 40 vídeos digitais em pequenas cidades do país. As histórias foram selecionadas após um processo de inscrição destinado exclusivamente a moradores de municípios com até 20 mil habitantes. Os vídeos têm duração máxima de 15 minutos.


“Extraordinárias Estórias em Manecos” foi gravado na comunidade rural de Manecos, onde as histórias sobrenaturais de Cumade Fulozinha, a Senhora das Matas, é contada por moradores. O vídeo mostra o imaginário e as supertições das pessoas sobre o personagem, e revela o convívio entre o homem e o meio ambiente.


O roteiro, direção e produção são de autoria de Maria José da Silva, com imagens João Carlos Beltrão, edição de Adilson Luiz da Silva, sonorização de Lúcio César, Magno Augusto e Job Andrade.


Manecos está localizado na região agreste e seus habitantes sobrevivem da caça e da agricultura de subsistência. O surgimento da comunidade de Manecos está ligada a história da cidade de Gurinhem, fundada por padres jesuítas e tornou-se freguesia em 1873. Foi emancipada em 19 de dezembro de 1958. O nome da cidade tem origem indígena e significa “rio do peixe saboroso”.


Logo após haverá exibição do “Contador do Doce”, uma espécie de continuação de “Extradionárias Estórias em Manecos”, contada pelo construtor de ferramentas e doceiro Luiz Ferreira Guerra, mas conhecido por Luiz do Doce, um homem simples que tenta sobreviver sozinho na comunidade de Manecos. Sua história e seu cotidiano são mostrados com extrema leveza pela autora que contou com a mesma equipe de técnica.

Quem foi Comadre Florzinha?

Comadre Florzinha ou “Cumade Flozinha”, como se diz a tradição oral, é uma lenda do nordeste brasileiro. O espírito de uma cabocla de longos cabelos que vive na mata protegendo a natureza dos caçadores e que gosta de fumo e mel. Diz-se que açoita violentamente aqueles que adentram suas matas sem levar uma quantidade de fumo como oferenda e também lhes enrola a língua. Furtiva, seu assovio se torna mais baixo quanto mais próxima ela estiver, parecendo estar distante.

Projeto Revelando Brasis - Além do vídeo-documentário “Extraordinária Estórias de Manecos”, o projeto Revelando Brasis contemplou mais três vídeos paraibanos: “Um dia na vida de uma marisqueira” de autoria da professora Adelma Cristovam dos Passos, de Pitumbú (litoral norte do Estado da Paraíba). O documentário acompanha a rotina de uma marisqueira, mostrando a organização do trabalho, as relações familiares, as dificuldades e as esperanças das trabalhadoras que vivem da pesca de mariscos.

O vídeo acompanha a rotina de Abonira dos Santos Ferreira que começou a catar mariscos aos nove anos de idade. Hoje, ela ajuda a sustentar a família com o fruto de seu trabalho.

Outro audiovisual contemplado foi “O Bode do Padre”, do professor de história Cícero Josenaldo Alves de Lira, do município de São Sebastião do Umbuzeiro (Cariri Paraibano). O vídeo ficcional conta à estória de um padre que ganha um bode de presente e passa a criar o animal na casa paroquial. O bode é leiloado várias vezes e sempre retorna a paróquia. Até o dia que um forasteiro participa de um dos leilões e decide não devolver o animal.

O roteiro, direção e produção de Cícero Josenaldo Alves de Lira, com edição de Anderson Augusto, música de Nanado Alves, arranjos de Jorge Cochó e elenco composto por Lucenilda Tomé Aleixo, José Washington Lima, Tarciana Maria Dias Feitosa. Os atores, de acordo com o produtor do vídeo, foram recrutados de São João do Tigre, cidade vizinha.

Outro contemplado com o projeto foi o vídeo-documentário também ficcional do jornalista Damião Expedito de Lima Rodrigues, intitulado “O Assalto”, da cidade de Jacaraú (PB). No elenco estão os atores: Alex Silva, Ana Luiza Camino, André Morais, Bete Maia e Cristiane Alves. A produção contou com o apoio de Jorge Bweres e Walter Cortez, com imagens de Onilson Pires e edição de Anderson Augusto. O vídeo foi baseado em um assalto que mobilizou a agência dos Correios e Telegráficos de Mataraca, município localizado a cerca de 87 quilômetros da Capital.

Adriana Crisanto
Repórter
adriana@jornalonorte.com.br
adrianacrisanto@gmail.com
Fotos: Equipe do vídeo Manecos - Divulgação - http://www.revelandobrasis.com.br/

Matéria publicada no caderno Show do jornal O Norte em julho de 2007.