Star in love


A banda Star 61 é a atração desta sexta-feira (8), no Parahyba Café (Usina Cultural da Saelpa). O show meio que antecipa o dia dos namorados.Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do local ao preço de R$ 5,00 ou antecipado na loja de discos Música Urbana, no centro da cidade. A festa-show intitula-se “Star 61 in love” e trará um repertório inédito com novos rits e covers escolhidos a dedo pelos novos integrantes da banda.
A festa está prevista para começar às 21h30 com uma discotecagem surpresa, fruto do acervo pessoal da Star 61, composta de uma seleção inusitada que vai das baladas sangrentas aos clássicos do rock, a exemplo do The Smiths, Ramones e NY Dolls. Além de Madona, Jovem Guarda, Cilla Black e outras divas da música internacional.
A banda que foi uma das atrações do Festival Rolla Pedra de Brasília, no início deste ano, lançou no ano passado o CD demo que contou com a produção cinco músicas e um bônus da faixa multimídia do clipe “Fácil Demais”.
O Star 61 ao lado de grupos como The Sylvias, Cabruêra (rock mais regional), Unidade Móvel (rock industrial pop) vem se revelando como um dos mais irreverentes. Depois da extinta banda Flávio Cavalcanti, atual Flávio C, hoje, pode-se dizer sem pestanejar que o Star é o que de melhor existe na cena musical.
Comentários que surgem de pessoas que estão sempre ligadas no que há de melhor no cenário local, a exemplo do ator, diretor de teatro e especialista em música alternativa, Everaldo Pontes. Na opinião de Everaldo, o grupo tem uma energia muito verdadeira. Pulsação está que ficou esquecida pelas bandas, devido, talvez, quem sabe, a exigência e urgência que tem os músicos, em se aliar as novas ferramentas da tecnologia, principalmente os que estão surgindo.
No melhor estilo “Placebo purpurina de ser” o efeito deles no palco é poderoso e impressionante. Resultado observado em nomes como Mick Jagger. Algumas pessoas acreditam que este efeito que enlouquece contagia a platéia que os assiste e escuta e isso se deve ao despojamento de Flaviano que a cada apresentação entra vestido com um figurino mais absurdo do que o outro.
Até um vestido de noiva ele já usou. Foi no Festival Mada, no Rio Grande do Norte, onde ganhou o prêmio como banda revelação de 2004, abrindo para o Sepultura. O público foi conquistado ali, à primeira vista, com a performance da noiva Flaviano regando flores no palco.
Fora toda essa irreverência à musicalidade em momento nenhum é perdida. A formação já mudou várias vezes, mas nem por isso eles perderam a veia rock irreverente.
O talento e despojamento levaram a banda a participar do Abril pro Rock de 2005, ganharam a eliminatória de Recife do “Claro Que é Rock”. Existem comentários de que a mídia tenha ofuscado um pouco o trabalho do grupo, pois as matérias falavam mais das bandas de Recife do que o grupo da Paraíba.
Também no ano passado a banda foi para São Paulo para participar do festival Claro Que É Rock, junto com as bandas Cachorro Grande, Iggy Pop & The Stooges, Sonic Youth, Nine Inch Nails, Flaming Lips e outras. A apresentação rendeu um outro convite. Desta vez para se apresentar no Blen Blen, casa de shows paulistana, dentro do projeto 2em1, ao lado das bandas Rock Rocket e Bidê ou Balde.
Para quem quiser conhecer o trabalho da banda pode acessar o website da trama, através do endereço eletrônico http://www.tramavirtual.com.br/star_61. Além do histórico do grupo você escutar as músicas do primeiro CD demo e também o antepenúltimo trabalho intitulado “Fliperama”.

Serviço:
Star 61 in love
Sexta-feira (8)
Hora: 21h30
Local: Parahyba Café – Usina Cultural da Saelpa
Ingressos à venda por R$ 5,00 na loja de discos Música Urbana, no Centro.
Informações: 3042.3212/ 8802.1128 e 9104.3812.
Foto: Divulgação


Adriana Crisanto
Repórter
Matéria publicada no jornal O Norte em junho de 2007