Projeto "Esquina Brasil" contempla música paraibana

Com o objetivo de divulgar e promover a música da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte, o Sebrae em parceria com a Associação dos Produtores de Disco do Ceará (Prodisc), estará lançando nesta sexta-feira (5 de outubro), às 10h00, no Teatro Severino Cabral, em Campina Grande, o projeto Esquina Brasil. O lançamento faz parte da Feira do Empreendedor, que acontece no período de 4 a 7 de outubro, no Parque do Povo, no Açude Novo.
Durante toda noite o público da feira vai ter a oportunidade de assistir a vários shows. No primeiro dia (4 de outubro), a partir das 21h00, se apresentam o grupo “Costa a Costa” de hip-hop do Ceará, seguidos pela banda campinense “Odecasa” e “SeuZé” do Rio Grande do Norte. Na sexta-feira (5) a diversão fica por conta dos músicos do “Brassil” (PB), da cantora Rejane Luna (RN), do músico Isaac Cândido (CE) e da banda de rock Star 61 (PB).
Na quinta-feira (6), se apresentam o baixista Sérgio Groove (RN), a cantora Sandra Belê (PB), a banda “Dona Zefinha” (CE) e o grupo “Da Silva e a Usina Dub” (PB). No último dia (7), o evento é fechado com o brilho das meninas do grupo Clã Brasil (PB), da banda “Rosa de Pedra” (RN) e do cantor cearense Marcos Dias.

Shows de destaque da Feira do Empreendedor

Uma das atrações culturais da Feira do Empreendedor é a banda potiguar Seu Zé. A banda vem construindo um trabalho sólido baseado nas diferenças de seus integrantes. O primeiro CD do grupo, Festival do Desconcerto, lançado pelo selo potiguar Mudernage Diskos, A banda participou de importantes festivais de música do país, a exemplo da Feira da Música do ceará, Ceará Music 2006 (CE) e o Tim Mada 2005 e 2006 (RN). Os Zés receberam oito indicações, em 2004 e 2005, como uma das mais importantes cerimônias musicais do Nordeste, o Prêmio Hangar de Música. Em 2006 foi indicado em 6 categorias ao Prêmio Rock Potiguar.
A máxima do SeuZé é, sem dúvidas, a de fazer música sem se preocupar se ela vai se chamar samba, xote, rock, tango ou vai ser simplesmente anônima. Na discografia da banda constam os trabalhos: o independente SeuZé (Demo/ 2003), participação na coletânea Bronzeador Virtual, gravado pela DoSol Records, o EP “Realidade Não Tão Paralela (2004), participação na coletânea virtual Papa Jerimum/Tim Mada 2005 (Rock Potiguar) e o Cd Festival do Desconcerto (2005) gravado pela Mudernage Diskos.
Outro destaque é apresentação da banda cearense que lançou recentemente o disco “Dona Zefinha vai a Feira". O CD leva o público a uma reflexão do atual cenário social: o consumo desenfreado, a interferência da mídia no cotidiano, o faz de conta que vira negócio.
O show da banda tem como pano de fundo o teatro de bonecos, o mamulengo e os títeres do nordeste brasileiro. Seu personagem, Casimiro Coco viaja pelo nordeste em busca do divino e da utopia. Viola, marimbau, rabeca, banjo, pífano e a percussão da zabumba, pandeiro, caixa e alfaia dão o tom neste espetáculo de criatividade da cultura nordestina. A banda Dona Zefinha está na estrada desde 2001, nasceu da veia cênica do diretor e compositor Orlângelo Leal e carrega uma combinação artística singular de interpretação teatral que se manifesta através de sons e melodias. No palco seus integrantes cantam com o corpo e buscam inspiração dos folguedos brasileiros.
Dona Zefinha é composta por: Maninho (bateria), Vanildo Franco (percussão, pífanos e flauta), Joélia Braga (percussão, voz e figurino), Ângelo Maximo (percussão e sax é o Mateus do reisado cearense) Paulo Orlando (performance e percussão) Orlângelo Leal (diretor e compositor cênico - violão, viola, rabeca, marimbau, banjo e canto) e Danilo Sampaio (músico convidado - baixo). Mais informações sobre a banda na page www.caldeiraodasartes.com.br

O projeto Esquina Brasil

O projeto Esquina Brasil consiste uma caixa com quatro CD´s, com 18 faixas cada, recheados de música que vão do instrumental, regional/raiz, rock, pop e MPB. Cada CD possui 18 faixas. Foram selecionados seis artistas de cada Estado que mostram a diversidade do cenário musical de sua região.
Uma caixa, bem elaborada, foi criada para divulgação dos talentos regionais que possuem discos gravados. Nela são encontrados trabalhos de músicos contemporâneos da cena musical paraibana, a exemplo de Adeildo Veira, Milton Dornellas, Eleonora Falcone, Dalila do Caos, Unidade Móvel, Zé Filho, Quinteto da Paraíba, Jessier Quirino, JPSax, Tocaia da Paraíba, Gláucia Lima, Paulo Ro, Emboscada, Star 61, Didier Guigue, Clã Brasil, Biliu de Campina, Aerotrio e outros.
A distribuição do material será gratuita em eventos como Feiras, Congressos, shows em todo o Brasil e exterior. As bandas selecionadas foram avaliadas por uma curadoria composta por representantes da música em cada Estado, bem como formadores de opinião e profissionais conceituados. A coordenação geral é de Ivan Ferrero, com produção de Thais Andrade.

Adriana Crisanto
Repórter
Fotos: Banda Rosa Pedra - Divulgação.