Tributo a Gonzaguinha


"Cantar, cantar e cantar" é o que os fãs e admiradores do cantor e compositor Luiz Gonzaga Júnior vão fazer neste sábado (20), a partir das 21h00, no 12o Tributo a Gonzaguinha. O encontro será na Rua Antônio Laurentino, 74, no Conjunto dos Bancários, na residência da escritora Nara Limeira.
A homenagem ao artista, que se fosse vivo completaria 61 anos, surgiu com a morte dele, em 1991, por intermédio de um grupo de amigas: a jornalista Fátima Sousa (Mana), Mary Bernardo e Cristina Araújo. Cinco anos depois do falecimento do artista, Fátima Sousa resolveu unir um grupo de pessoas para uma grande cantoria em homenagem ao artista. "Nunca pensei que tinha tanta gente que gostava de Gonzaguinha. Precisei desligar o telefone de casa por algumas horas de tanto que as pessoas me procuravam para saber onde seria a festa", disse a companheira Fátima Sousa.
A confraternização acabou se tornando uma marca e todos os anos os amigos e admiradores do cantor se reúnem para cantar, recitar e encenar a obra do moleque Luizinho, como era carinhosamente chamado.
O evento se tornou tão grandioso que artistas, intelectuais, poetas, escritores e jornalistas passaram a ser presença garantida no encontro. Já estão confirmadas as presenças da cantora Gláucia Lima, do grupo Voz Ativa, do músico Adeildo Vieira, Jesse Gel, João Jaguaribe, Kennedy Costa, Roberto Araújo, Alcântara, Débora Vieira, o instrumentista Eduardo Jorge, Márcio Bernardo, a artista Vilma Case, o cartunista Régis Soares, a fotógrafa Mônica Câmara, os jornalistas David Fernandes, Joanildo Mendes, Emmanuel Noronha ( que dizem estarem afinando as vozes) e outros.

Artista da poesia, do protesto e da vida
Luiz Gonzaga Júnior nasceu e cresceu no Morro de São Carlos, no Rio de Janeiro. Era filho de Luiz Gonzaga com a cantora de cabaré Odaléia, falecida nos primeiros anos de vida do artista, um dos mais fiéis e dignos compositores deste País, ao lado de nomes como Chico Buarque de Holanda, Ivan Lins, Aldir Blanc e outros famosos contemporâneos da Música Popular Brasileira.
Gonzaguinha, como ficou conhecido, teve uma carreira brilhante e com altos e baixos. Ele foi vítima da ditadura militar. Teve 53 músicas censuradas, muitos discos, inclusive, recolhidos da praça. Na opinião da jornalista Fátima Sousa, Gonzaguinha foi o grande porta voz do povo oprimido, do trabalhador explorado, das mulheres, das crianças de rua, das minorias deste país.
Infelizmente Gonzaguinha Júnior morreu no melhor de sua produção artística num acidente de carro, no dia 29 de abril de 1991. Outro grande fã do cantor é o empresário Paulo Vanderley, que criou o site www.gonzaguinha.com.br. Para ele não importa se a inspiração foi buscada nas ladeiras do morro do São Carlos, nas estradas do sertão, nas histórias de seu Lula, na cultura nordestina ou até mesmo nas agruras da repressão militar. O que interessa, de acordo com Wanderley, é que a MPB ficou mais rica a partir de então, e que hoje, se perpetua na mente de velhos e jovens que expressam sentimentos cantarolando e assobiando canções que sempre serão sucesso.
Gonzaguinha em uma de suas celebres frases dizia: "Uma coisa eu aprendi pelas estradas onde andei, e que eu sei que vou levar para estradas por onde eu vou andar. Eu aprendi que é fundamental que eu tenha respeito pela minha pessoa, para que eu possa, evidentemente, passar esse respeito para outras pessoas. Porque não há coisa ' mais maior de grande' do que a pessoa e porque somente juntos, somente unidos, é que vamos conseguir uma coisa bem maior chamada a nossa liberdade".

E foi seguindo uma das linhas desse raciocínio que Gonzaguinha compôs poesias que mais tarde viraram músicas, a exemplo de "O que é o Que é" - um verdadeiro tributo à vida e tantos outros sucessos.


Serviço:
12o Tributo a Gonzaguinha
Hoje, 20/10
Hora: 21h30
Local: Rua Antônio Laurentino Ramos, 74, Conjunto dos BancáriosPonto de referência: Entra no primeiro sinal dos Bancários, esquina Farmácia Rede Med, à direita, vai até o final da rua, dobra à direita, à esquerda e à direita.Informações: 8887.2006/3235.0306.
Adriana Crisanto
Repórter
Foto: Divulgação.
Matéria publciada no caderno Show do Jornal O Norte