Buena Vista Social Club

Uma edição luxuosa do primeiro CD do Buena Vista Social Club foi relançada no Brasil este ano. Com preço sugerido de R$ 32,90 o admirador da obra leva para casa um CD gravado em Havana em seis dias no ano de 1996, produzido pela gravadora inglesa World Circuit. O Buena Vista, apesar do falecimento de alguns de seus integrantes, rompeu todas as barreiras da world music e se tornou o maior sucesso de todos os tempos.

Por mais leigo que sejamos no quesito música é quase impossível não gostar do que se ouve. Com a marca de mais de oito milhões de cópias vendidas internacionalmente continua sendo um recorde no gênero e resultou finalmente na inclusão de Cuba no mapa da música instrumental a partir da década de 1990.

O CD vem com um encorpado libreto com 48 páginas traduzidas em português. Na edição brasileira assinada pela MCD recupera-se o formato do lançamento original contendo também farto material fotográfico.

O título do disco faz referência um tradicional clube de música, dança e atividades sociais de Havana onde Compay, González, Ferrer, Manuel “Puntillita” Licea e Anga Díaz se encontravam desde 1940.

A história sobre a redescoberta do Buena Vista Social Club aconteceu quando o guitarrista Ry Coorder ao visitar Cuba e “procurar música de qualidade nesta ilha isolada no tempo e espaço” devido à revolução socialista e ao embargo americano surpreendeu-se ao desembarcar e descobrir tantos talentos andando pelas ruas de Havana. Cooder convidou seu filho Joachim e o produtor Juan de Marcos Gonzalez que rapidamente arregimentou estes talentos lapidados pelo tempo e numa semana em Março de 2006 nos estúdios Egrem de Havana com equipamentos dos anos 60, gravaram este documento histórico da música mundial.

Buena Vista Social Club foi ainda responsável pela descoberta mundial de grandes artistas veteranos da música cubana, como Ibrahim Ferrer, Compay Segundo, Rubén González, Eliades Ochoa e Omara Portuondo, que a partir daí gravaram discos solo que repercutiram em dezenas de países.

São 14 impecáveis faixas de Buena Vista Social Club: Chan Chan, por Eliades Ochoa; De Camino A La Vereda, por Ibrahim Ferrer; El Cuarto De Tula, por Eliades Ochoa; Pueblo Nuevo, por Rubén González; Dos Gardenias, por Ibrahim Ferrer; Y Tú Qué Has?, por Compay Segundo; Veinte Años, por Omara Portuondo; El Carretero, por Eliades Ochoa; Candela, por Ibrahim Ferrer; Amor De Loca Juventud, por Compay Segundo; Orgullecida, por Compay Segundo; Murmullo, por Ibrahim Ferrer; Buena Vista Social Club, por Rubén González; La Bayamesa, por Manuel ‘Puntillita’ Licea.

Ry Cooder disse na época do primeiro lançamento que a música de Cuba estava viva e não era encontrada em nenhum museu. “Sinto que passei a vida toda me preparando para isto, no entanto, fazer esta gravação não foi o que eu esperava em plenos anos 90. Música é como uma caça ao tesouro. A gente cava... cava e, às vezes, encontra algo. Em Cuba, a música flui como um rio. Ela te acolhe e te vira do avesso”. O resultado desta “caçada” já virou história!”, finalizou.

Adriana Crisanto
Repórter
adriana@jornalonorte.com.br
adrianacrisanto@gmail.com
Fotos: Divulgação.