Mestres do Quadrinho Nacional



Os quadrinistas Emir Ribeiro (foto ao lado) e Deodato Filho (foto abaixo) foram contemplados com o 25º Troféu Ângelo Agostini que premia anualmente destaques dos quadrinhos no Brasil. Os autores receberam o troféu na categoria “Mestre do Quadrinho Nacional”. Além de Emir Ribeiro e Deodato receberam a premiação os quadrinistas: Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini e Watson Portela.

A festa de entrega será no dia 14 de fevereiro e é uma promoção do
Senac São Paulo e da Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) com o apoio do site Bigorna.net e da Inarco Internacional. O evento será uma oportunidade para o encontro de profissionais da área, novos talentos e aficionados por quadrinhos.

A votação do troféu foi feita pela internet nas categorias Melhor Desenhista (Laudo Ferreira Júnior), Melhor Roteirista (Daniel Esteves), Melhor Cartunista (Macio Baraldi), Melhor lançamento (Menina Infinito – Editora Desiderata), Melhor Fanzine (Quadrinhos independentes – Edgar Guimarães).

O Troféu Jayme Cortez foi concedido ao Coletivo Quatro Mundo. Este prêmio se destina as pessoas ou instituições que tenha incentivado a arte nacional através da divulgação, edição, promoção ou qualquer ação que tenha aberto espaço para o quadrinho nacional neste ano.

“Agradeço muito a quem votou em mim para o Troféu Ângelo Agostini. E o gosto desse agradecimento é especial, pois nunca fiz qualquer campanha para pedir votos, ou seja, as pessoas votaram em mim por iniciativa própria, sem influência externa e nem pedido pessoal algum meu. Da mesma forma, nunca votei em mim mesmo para premiações de HQ. O valor desse prêmio, portanto, é triplicado”, disse Emir Ribeiro em email enviado para a imprensa.

O lançamento virtual e oficial da nova revista de Emir, "Velta 2009", será no dia 18 de janeiro, data em que foi pintada a primeira imagem de Velta, no ano de 1973, mas as pré-vendas já começaram pela internet, através do website do quadrinista, no endereço eletrônico: http://www.emirribeiro.com.br

Na nova edição possui 29 páginas e nela o autor preserva algumas características da personagem de épocas passadas e reconta a primeira aventura de Kátia Maria Farias Lins (Velta) e o seu primeiro encontro com seu atual namorado, o detetive particular Gilberto Schwartz Gomes. De acordo com Emir, essa história já foi reprisada e saiu em duas revistas (1979 e 1984). "A União; e em 1994, numa encadernação especial editada pelo Edgard Guimarães, editor do fanzine QI - Quadrinhos independentes”, comentou Emir.

Uma diferença desta edição para as outras é a capa que foi desenhada e pintada por Paulo Nery (que iniciou carreira na extinta Editora Grafipar, de Curitiba). Atrás dois desenhos assinado por Paulo e Emir. Para adquirir, o leitor pode depositar R$ 5,00 (valor somado da edição mais o porte simples) na conta nº 747-0, agência 0548, da Caixa Econômica Federal, e em seguida enviar cópia do comprovante de depósito, junto com o endereço para o qual deverá ser expedida a edição. Outra opção, em vista do valor baixo, é a conversão dos R$ 5,00 em selos novos de correio.

Também se encontra para venda o exemplar “Raio Negro & Velta”, editada em 2008, uma publicação da Editora Júpiter II. A edição é em preto e branco, off-set, formato livro, 32 páginas, com capa de Marco Santiago e Emir Ribeiro. A revista é inédita e se destina para todas as idades.

Outro premiado foi o quadrinista Deodato Borges Filho, ou Mike Deodato. Ele é um dos poucos artistas nacionais a ganhar projeção internacional. Filho do jornalista, radialista e roteirista Deodato Borges (criadir do personagem Flama em 1963). Ele hoje ilustra para o mercado americano de histórias em quadrinhos, a exemplo do Hulk, Elektra, Vingadores, Thor, Mulher-Maravilha e Homem-Aranha.

Desenhou "Lost in Space" e "Beauty and the Beast", pelo selo de quadrinhos americano Innovation Comics, sendo estas baseadas em séries de TV. Desenhou ainda "New Miracleman" (com Fred Burke no roteiro) pela editora Eclipse, coroando a carreira com Hibrides" com arte-final de Neal Adams, um monstro sagrado dos quadrinhos, na Editora Continuity, do próprio Neal Adams.

Os especialistas em quadrinhos e desenho não se cansam em afirmar que Deodato é hoje referência na área pelo seu traço “clássico”, apesar de lembrar alguns antecessores como Frazetta, Eisner, tem um domínio claro-escuro. Seja escuro ou colorido o traço de Deodato possui uma agilidade típica dos quadrinhos norte-americanos.

Adriana Crisanto
Repórter
adrianacrisanto.pb@diariosassociados.com.br
adrianacrisanto@gmail.com
Fotos: divulgação