Boi do Bessa completa 15 anos no tempo do Maracatu Rural


O projeto Folia de Rua chega ao seu último dia, sábado (21), com a saída dos blocos Boi do Bessa, Urso Gay e Peruas do Valentina. O primeiro bloco a se concentrar é o Boi do Bessa. Logo após às 18h00, na Praça do Coqueiral, Mangabeira VI, os foliões do bloco Urso Gay esquentam os tambores para a brincadeira. O Peruas do Valentina sairá também às 16h00, no Canteiros Bar, próximo a Fundação Bradesco.

O Maracatu do Baque Solto do Município de Pedras de Fogo (PB) é a atração do bloco Boi do Bessa que este ano completa 15 anos e se concentra às 16h00, no Golfinhos Bar, na praia do Bessa. Terá ainda a apresentação das bandas Ala Ursa de Mandacaru, um trio puxado pelo cantor Jairo Madruga e Banda e duas orquestras de frevo.

A previsão de saída do bloco é a partir das 18h00. O percurso previsto para passagem do bloco são as ruas Afonso Pena e Argemiro de Figueiredo, que ficarão interditadas no final da tarde. As camisetas ainda estão sendo vendidas ao preço de R$ 15,00 e traz a arte consagrada de Clóvis Júnior, um dos fundadores do bloco.

O bloco surgiu de uma idéia da escritora Cassandra Figueiredo e o seu companheiro, o artista plástico Clóvis Júnior com o intuito de criar um movimento cultural e a partir daí, incentivar outras formas de viabilização de criação artística, além de unir os moradores do bairro e através do bloco conscientizar as pessoas contra a depredação dos pés de cajus, um símbolos do bairro.

“Esses imensos cajueiros davam sombra aos bois das vacarias que pastavam a beira mar, o caju servia também como fonte de renda para moradores das proximidades, restando poucos preservados”, relatou Cassandra Figueiredo, que se orgulha de ter iniciado a discussão, despertando com isso a consciência ecológica.

Os quinze estandartes do bloco levam a assinatura da artista plástica Gislane Regadas, também moradora do bairro. Nestes 15 anos de existência o bloco ganhou projeção nacional quando foi convidado pela Vila Isabel para integrar a ala do folclore paraibano que teve como enredo “João Pessoa, onde brilha mais cedo”. No ano de 2005, o bloco transformou-se em uma Organização Não-Governamental (ONG) para ampliar a ação social em benefício da comunidade.

“Não se destrói assim aquilo que Deus lhe deu”, diz o hino do bloco se referindo a preservação dos cajueiros do bairro do Bessa que foram desaparecendo do local devido ao desenvolvimento desordenado de prédios e mansões. Além de fazer alusão aos cajueiros o bloco valoriza a cultura popular através da figura do bumba meu boi. O hino é de autoria do escritor Altemir Garcia em parceira com a poetisa Cassandra Figueiredo, com arranjos de Betinho, João Barbosa e Sérgio Galo.

O artista plástico Clóvis Júnior é também o atual presidente do Projeto Folia de Rua que este ano ganhou maior adesão da população. “Apesar das dificuldades criamos a orquestra Folia de Rua, conquistamos mais espaços e de hoje em diante o Folia vai entrar no roteiro turístico da nossa Capital como mais um evento turístico para ser vendido lá fora”, acrescentou Clovis Júnior que foi convidado recentemente para ir aos Estados Unidos falar para estudantes de uma universidade americana sobre arte popular.

Quanto ao bloco Boi do Bessa ele disse que neste ano vai ser uma grande festa de debutantes e os quinze estandartes estarão nas ruas da praia do Bessa. Na dispersão, na Praça do Caju haverá uma orquestra tocando e animando os foliões.

Peruas do Valentina e Urso Gay

Outros dois blocos que saem neste sábado são Peruas do Valentina, que com um grupo de amigos que resolveram se reunir no sábado de carnaval e saíram pela avenida principal do bairro. Os homens caracterizados com roupas femininas bastante irreverentes, verdadeiras “Peruas”, inspirados na novela global “Perigosas Peruas”, em 1992.

Nos anos seguintes, o Bloco foi ampliando o número de foliões e em poucos anos, atraindo, inclusive turistas de todo Brasil. A própria mídia enfatiza anualmente, o crescimento do Bloco, observando que o Valentina Figueiredo, não é um bairro central, entretanto, atrai milhares e milhares de pessoas: Homens vestidos de Peruas, mulheres e crianças. É um verdadeiro glamour de alegria que contagiam todos. Os moradores ou moradoras da avenida principal, percurso do bloco, se organizam para a passagem dos foliões.

O “Peruas do Valentina” reúne, segundo seus organizadores, anualmente, cerca de 45 mil foliões. A concentração começar às 16h00, próximo à Fundação Bradesco e o Canteiro’s Bar, antiga Adega do Zaca, avenida principal do bairro. O bloco tem previsão para sair às 20 horas e segue pela avenida principal até a Praça Deputado Soares Madruga, onde acontece a dispersão.

Vários trios elétricos animam o desfile do Peruas do Valentina, anualmente, tendo como a banda Sabor de Mel e a Orquestra do maestro Nena (puxador oficial do bloco), entre outras atrações. Para conforto e segurança dos foliões, o bloco conta com segurança particular composta por 100 homens, além do apoio do 5º Batalhão de Polícia Militar. O bloco completou ano passado 17 anos de existência sem nunca ter registrado um único incidente de violência.

De acordo com a programação oficial enviada pela assessoria de imprensa do Folia de Rua, o bloco O Urso Gay sai às 18h00. O Urso participou da gravação do Long Play (LP) que deu origem ao movimento e tinha sob o seu comando o carnavalesco apaixonado Jorge Benício que durante décadas resistiu às mudanças dos carnavais. Com a morte de Jorge o bloco passou para o comando de Tony Fernandes do bloco Unidos do Castelo que tem trabalhado para dar continuidade ao que Jorge deixou plantado.

Adriana Crisanto
Repórter
adrianacrisanto.pb@diariosassociados.com.br
adrianacrisanto@gmail.com
Fotos: Divulgação