Cancelada apresentação da Orquestra de Câmara de João Pessoa neste domingo


A ESTAÇÃO CABO BRANCO, CIÊNCIA, CULTURA E ARTES comunica que não haverá apresentação neste domingo (26), da ORQUESTRA DE CÂMARA DA CIDADE DE JOÃO PESSOA, no auditório da Estação, localizado no Altiplano Cabo Branco. O CANCELAMENTO se deve aos problemas técnicos e artísticos da Orquestra de Câmara. A ESTAÇÃO CIÊNCIA pede desculpas ao público e INFORMA que nova data estará sendo agendada pela Orquestra para apresentação.

Tela Verde exibe oito curtas em João Pessoa


Oito curtas metragens sobre o meio ambiente estarão sendo exibidos no Salão de Convenções da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes neste final de semana. As exibições fazem parte do projeto Circuito Tela Verde que prosseguirá até o dia 30 de julho na Estação Ciência, localizada no Altiplano Cabo.

Neste sábado (25), a partir das 11h, na Sala de Convenções 2, serão exibidos os filmes: “Antes que a Casa Caia”, “Roda Viva”, “Apertando o Mangue” e “Mulheres do Âncora”. As apresentações são seguida por debates orientados pelos educadores da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura e dos gestores educacionais da Estação Cabo Branco; Walcira Costa, Verônica Sousa, Wertevan Fernandes e Cássia Freitas.

O filme “Antes que a casa caia” mostra a vida simples de pessoas que residem próximas as barreiras de uma pedreira. A segunda exibição “Roda Viva”, às 11h40, mostra a transformação da Lagoa de Araruama, que antes era viva e importante geradora de riquezas, mas a poluição, a construção civil desordenada e as ações irresponsáveis do homem fizeram a bela água escurecer, afastaram os peixes e os turistas, e transformaram as salinas em grandes condomínios.

Apertando o Mangue trata de um filme que mostra a importância do mangue na visão de um nativo que faz uma reflexão sobre o homem e a natureza em uma cidade em crescimento.

No domingo (26), a partir das 11h, será exibido “Mar Cigano” um vídeo que mostra qual a relação do homem com a natureza e sobre o avanço do mar. “Lá é mais difícil” é o filme da sequência que fala sobre jovens da zona urbana e da zona rural comentando sobre suas realidades de vida. Outro curta de destaque é “Encontro das Águas” que retratada a vida dos pescadores, o conhecimento empírico sobre a natureza. O último curta do dia chama-se “Vento Corredor” em que questiona sobre os conflitos entre a segurança, a moradia e os cuidados com a natureza das pessoas que moram próximas ao Parque Nacional da Restinga em Jurubatinga.

Circuito – No último final de semana o Circuito Tela Verde trouxe para a Estação Cabo Branco cerca de 300 pessoas vindas de várias partes da cidade e turistas que visitavam a Paraíba.

O Circuito Tela Verde constitui-se em um projeto construído em parceria entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério da Cultura (Minc) que visa estimular as atividades de educação ambiental através da linguagem audiovisual, com uma mostra de vídeos que traz experiências de projetos ambientais. O Tela Verde chega a João Pessoa através da Secretaria do Meio Ambiente (Semam) com parceira com a Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes para exibição das películas. A mostra de vídeos passou por várias capitais brasileiras, incluindo estruturas educadoras, a exemplo de Salas Verdes, instituições articuladoras de Coletivos de Educadores, Pontos de Cultura, Cineclubes, instituições de ensino, associações comunitárias, organizações indígenas.

Cada espaço receberá um kit contendo cinco DVD’s, manual de orientações sobre como organizar a mostra com a sinopse dos vídeos e o material de divulgação. Este circuito reúne 30 vídeos de curta metragem, num total de mais de cinco horas de exibição.

Os vídeos foram produzidos como parte de um processo de educação ambiental, de caráter crítico e participativo, com envolvimento direto das comunidades na produção dos vídeos, utilizando metodologias de Educomunicação. Trazem uma importante contribuição para compreender como as comunidades tomam parte nos processos da gestão ambiental pública.

Todos eles foram realizados pela Abaeté Estudos Socioambientais, entre 2007 e 2008, utilizando a linguagem de cinema e ferramentas da antropologia, para a elaboração de diagnósticos socioambientais. Por seu caráter inovador, o projeto, em 2008, recebeu o prêmio Brasil Ambiental, um dos mais importantes do país.

O Circuito Tela Verde é uma das ações de Educomunicação do DEA/MMA, em sintonia com os princípios do Programa Nacional de Educação Ambiental.

SERVIÇO:
MOSTRA TELA VERDE

Sábado (25) – Antes que a casa caia, Roda Viva, Apertando o Mangue e Mulheres do Âncora
Domingo (26) – Mar Cigano, Lá é mais difícil, Encontro das águas, Vento Corredor
Horário: 11h00 até 18h00
Local: Sala da Convenções 2 – Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes
Fone: 3214.8303
Email: ecbartes@joaopessoa.pb.gov.br

Programa Ciranda Curricular promove novas oficinas neste final de semana


O público que visitar neste final de semana a Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes, localizada na avenida João Cirilo Silva, s/n, Altiplano Cabo Branco poderá participar das oficinas de recreação, quadrinização, contação de histórias e música. No sábado (25) serão ministradas as oficinas de recreação e quadrinização e no domingo (26) as oficinas de Contação de Histórias e Música. Todas as atividades acontecem na Sala de Práticas Educacionais, a partir das 10h00, com os arte-educadores: Edson Nascimento, Hausman Santos, José Carlos e Raimundo Severino, ambos do Ciranda Curricular, um programa de arte-educação e inclusão que busca criar na escola um espaço de interação entre toda a comunidade. As experimentações são gratuitas para as todas as idades. Não é necessário inscrição prévia.

“As oficinas do Programa Ciranda Curricular que também são oferecidas durante a semana, além do caráter educacional e lúdico, objetivam incluir socialmente pessoas de todas as idades com conhecimentos diversificados num mesmo ambiente e por esses aspectos estamos obtendo ótimos resultados”, explicou a Coordenadora de Gestão Educacional da Estação, Cássia Freitas.

OFICINAS – A Oficina de Recreação resgata brincadeiras antigas, cantigas de roda etc. Atua no sentido da socialização dos participantes e principalmente das crianças. É uma oficina basicamente de muito divertimento e descontração. O ministrante da oficina de recreação, Edson Nascimento, explicou que a oficina de recreação trabalha com aspecto lúdico que envolve as emoções, relembram brincadeiras do passado, desenhos, jogos educativos, músicas que faz com que desperte nos participantes a imaginação sejam eles vindos de escolas, turistas ou visitantes que passam pela Estação.

A oficina de Quadrinização é oferecida para qualquer pessoa que pode vivenciar também uma incrível experiência. A arte dos quadrinhos agrega além da ludicidade, a oportunidade de promover o desenvolvimento de várias competências relacionadas à criatividade, a lógica, a percepção, além da relação próxima com a construção de processos informais de leitura e escrita determinantes para o sucesso da escolaridade formal.

Na oficina o instrutor usará as técnicas da perspectiva anatômica, noções de desenho, mostrará como se produz uma tirinha, como se constrói um layout, um store board e um fanzine. A oficina de Contação de Histórias, por sua vez, objetiva estimular a imaginação das crianças e também adultos. Cada participante através das dinâmicas realizadas na referida oficina poderá criar e tornar-se personagem de qualquer estória.

Música (violão) - O participante tem o acompanhamento de um músico e aprende noções básicas das setes notas musicais (dó, re, mi, fá, só, la, si , dó). Alguns participantes ao ouvir o tom, os acordes do violão sentem afinidade com o instrumento e conseguem identificar as notas básicas com facilidade.

PROGRAMA - O Ciranda Curricular é um programa de arte-educação e inclusão que busca criar na escola um espaço de interação entre toda a comunidade. As atividades acontecem aos sábados através de oficinas artísticas, educativas e profissionalizantes que são ofertadas para estudantes, familiares e comunidade em geral. Não há qualquer restrição no que diz respeito à faixa etária, sexo, etnia, credo e escolaridade.

O programa está na Estação Cabo Branco há cerca de um ano e tem atraído pessoas de várias idades e movimentado bastante a casa nos dias semana e nos finais de semana. A todo o momento os oficineiros (com são chamados as pessoas que ministram as oficinas) estão circulando pela Estação convidando os visitantes a participarem das oficinas na sala de práticas educacionais.

A programação não pára por ai. No próximo mês tem mais. No sábado dia 01 de agosto, haverá oficina de Percussão Corpórea com arte-educador Hausman Santos. Na oficina o instrutor usará as técnicas da perspectiva anatômica, noções de desenho, mostrará como se produz uma tirinha, como se constrói um layout, um store board e um fanzine.

A Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes funciona de terça a sexta no horário de 9h00 às 17h00. No sábado e domingo as atividades começam as 10h00 e se estendem até as 18h00. Maiores informações para participar das oficinas do Ciranda Curricular, através do fone 3214.8303 ou pelo email.ecbartes@joaopessoa.pb.gov.br

SERVIÇO:
Programa Ciranda Curricular
Oficinas de Recreação, Contação de Histórias e Música
Sábado (25) e Domingo (26)
Hora: 10h00
Local: Sala de Práticas Educacionais da Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes
Informações: 83.3214.8303.

Grupo Viver a Inclusão é atração deste sábado na Estação


O Grupo “Vem Viver a Inclusão” fará estreia do espetáculo de teatro e dança intitulado “Força que Nunca Cessa”, neste sábado (25), no auditório da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes. A entrada é franca e está prevista para começar às 16h30.

A montagem consiste na encenação de teatro e dança que foi preparada para ser encenada em um festival em comemoração ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), por meio de trabalhos artísticos, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social. No passado, o grupo competiu com os grupos de pessoas sem deficiência e ficou em 2° lugar na Categoria de Teatro.

Grupo “Vem Viver a Inclusão” consiste num coletivo de música, teatro e dança formado pelos usuários do Centro Municipal de Inclusão, o qual visa a Habilitação e a Reabilitação, por meio de serviços especializados, de crianças, adolescentes e jovens com deficiência, distúrbio de comportamento e/ou de aprendizagem, buscando dar-lhes condições para o exercício pleno de sua cidadania.

O Grupo deu início aos trabalhos em abril de 2006 apenas com Teatro, buscando fortalecer, evidenciar e ampliar as potencialidades dos participantes. Neste mesmo ano foram implantadas as aulas de Musicoterapia e, em outubro de 2007, as aulas de Educação Física Adaptada, onde, além da área desportiva, um trabalho de dança vem sendo desenvolvido.

O objetivo principal do grupo é propiciar interação, socialização e desenvolvimento global diante das necessidades individuais de cada um. Neste sentido, o que é enfatizado é o desenvolvimento das habilidades de cada um, torna-se o ponto alto do trabalho.

Atualmente, o grupo conta com cerca de 40 participantes, o qual tem como responsáveis a professora de Teatro Lisianne Saraiva, o musicoterapeuta Wmarley de Azevedo e a educadora física Joana Alves.

SERVIÇO:
ESPETÁCULO: FORÇA QUE NUNCA CESSA
Sábado (25)
Hora: 16h30
Local: Auditório da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes.
A entrada é gratuita,